NASCE GICHIN FUNAKOSHI

gichin-funakoshi-hdUm dos senseis mais conhecidos no mundo do Karate, seu trabalho na divulgação e desenvolvimento em pro do To-Di (Antigo nome do Karate), é inquestionável, independente do estilo que você pratique, Funakoshi sensei é diretamente ou indiretamente responsável.

MAS QUEM FOI ESSE PEQUENO HOMEM?

Nascido prematuramente na cidade de Shuri em 23 de Dezembro de 1868 (outras fontes dizem 10 de Novembro do mesmo ano), pouco menos de uma década antes da ocupação oficial do Reino de Ryukyu (atual Okinawa) pelo Império Japonês, Gichin Tominakoshi (sobrenome oficial da Família que posteriormente foi mudado para Funakoshi), pertencia a classe mais baixa dos Peichin de Ryukyu, e teve boa parte da sua educação monitorada por seus avôs paternos.
Sua adolescência foi marcada por uma mudança social drástica, não somente pelo fato de que Ryukyu agora era Okinawa, oficialmente território japonês, como também pelo fato de que uma nova era estava nascendo no Japão, o fim das classe Bushi (samurai), a abertura do Japão para o mundo e a industrialização, graças ao novo imperador. A Era Meiji estava transformando o Japão.
Foi na escola que teve seu primeiro contato com o Karate (唐手¹), graças ao seu amigo que era filho de um dos principais mestres de To-Di de Okinawa, Asato Yasutsune sensei, também chamado de Asato Anko, uma outra leitura do kanji para o sobrenome do mestre.
A pedido do seu filho, Asato sensei adotou o pequeno Gichin como aluno, que posteriormente passou a frequentar não somente os treinos de Karate no pátio da residência do mestre Itoso, como também sua casa como amigo próximo, participando inclusive de reuniões amigáveis com muitas conversas sobre o To-Di entre Asato sensei e outro impressionante mestre de Okinawa, Itosu Yasutsune, ou Itosu Anko na outra forma de leitura do kanji.

gichin-funakoshi

Segundo alguns relatos no livro “Karate O Meu Modo de Vida”, de Funakoshi sensei, por várias vezes Itosu sensei acompanhou seu treinamento enquanto estava na casa do mestre Asato na vezes em que ambos os mestres se reuniam para conversar, e nessas ocasiões Gichin recebeu alguns ensinamentos através de correções nos treinos de kata dadas por Asato sensei.
O jovem Gichin também teve oportunidades de receber alguns ensinos de outros mestres de To-Di nas mesmas condições, tal como Sokon Matsumura, Kanryo Higaonna entre outros, mas seu mestre sempre foi Asato sensei.
Aos 21 anos Funakoshi presta exame para professor auxiliar em uma das escolas

mandando um email
Caligrafia Japonesa

 primárias em Naha depois de prestar exame para o cargo. Sua paixão pelo To-Di era enorme mas não acreditava que seria capaz de fazer disso uma profissão.
Um engano, já que em 1902 depois de uma apresentação de To-Di para o então inspetor escolar da prefeitura de Kagoshima (Shintaro Ogawa) na escola em que Funakoshi sensei lecionava, o rumo da sua vida mudaria, assim como a historia da arte marcial de Okinawa. A apresentação chamou muito a atenção do inspetor que por sua vez comunicou ao Ministério de Educação sobre a prática e os benefícios do treino, e foi a partir deste ponto que o ainda então To-Di foi implantado oficialmente nas escolas.  Deixando claro que sua pratica já era uma realidade em algumas escolas de Okinawa, o Ministério de Educação Japonês apenas registrou com uma atividade escolar de fato, pois esta já era de direito.

Essa apresentação abriu portas para várias outras, tal como a apresentação na ocasião da visita do o almirante Rokuro Yashiro (responsável por várias investidas contra a Rússia), que designou 12 de seus homens para treinar a arte marcial da Ilha.
Um dos maiores trunfos que Gichin possuía era sua capacidade de ensinar de forma didática, possivelmente adquirida com a sua profissão de professor auxiliar e o fato de saber falar japonês, já que o dialeto de Okinawa não era o mesmo do Japão, ainda era período de transição e os mais velhos ainda falavam idiomas distintos conhecidos como UCHINAAGUCHI (literalmente Boca de Uchinaa, como era também  chamado o reino de Ryukyu) e esses dialetos eram falados pelos mais antigos, inclusive mestre de To-Di.
Foi por decreto imperial, graças as mudanças da Era Meiji, que todas as escolas da já Okinawa, passou a ter o idioma japonês como língua oficial, assim como o Governo local.

Contra os pedidos de vários mestres que não eram a favor da divulgação da arte, Funakoshi sensei teve o apoio de outros mestres renomados como Kenwa Mabuni, Hironori Otsuka, Takeshi Shimoda, Choki Motobu e outros.

Em 1921, o príncipe herdeiro Hirohito que estava na Europa, fez escala no berço do Karate e foi assistir uma demonstração que foi coordenada por Funakoshi que acabou ficando muito impressionado. Devido ao grande sucesso da apresentação e pelo falto de Funakoshi sensei saber falar japonês, ele foi convidado para fazer posteriormente outra apresentação, mas em Tokyo.

A demonstração em Tokyo foi também um sucesso e acabou se convertendo em vários convites e pedidos para o ensino regular da arte. Funakoshi sensei pretendia retornar para sua casa, mas acabou ficando. Uma das pessoas que pediu para que ele ficasse foi Jigoro Kano, o criador do Judô e presidente do Instituto Kodokan, de quem se tornaria muito amigo e que a ajuda de Jigoro Kano, possivelmente nunca teria havido Karate no Japão.

Funakoshi sensei conseguiu moradia em um alojamento para estudantes okinawanos, ao sul de Tokyo. No local, arrumou uma pequena sala, que era rigorosamente cuidada por ele para dar aulas, mas como eram bem poucos os alunos, não garantiu uma renda suficiente para se manter apenas com seus treinos. Para obter mais renda, começou a trabalhar como zelador, jardineiro e segurança do alojamento, ainda teve que treinar o cozinheiro do alojamento em troca de desconto para aquisição de suas refeições além de ter que penhorar os poucos objetos que possuía. Funakoshi sensei era confundido muitas vezes com um simples empregado por quem passava pelo local.

Outra grande dificuldade sentida por Funakoshi sensei em Tokyo foi o preconceito que existia dos japoneses ao povo de Okinawa. Os okinawanos tinham um tom de pele mais escura, falavam outra língua, entre outras diferenças. Para divulgar a sua arte, Funakoshi sensei teve que convencer a população japonesa de que uma arte marcial vinda de Okinawa pudesse ter algum valor para eles, já que a cultura japonesa sempre esteve direcionada as artes marciais com o uso de armas, assim, os japoneses consideravam que as artes sem armas não tinham grande valor. Funakoshi sensei como grande conciliador, esperava introduzir os melhores aspectos da cultura de Okinawa na cultura do Japão.

Em 1922, a pedido do pintor Hoan Kosugi, Funakoshi sensei publicou seu primeiro livro, “Ryukyu Kenpo Karate”, um tratado nos propósitos e prática do Karate.

No ano de 1923, quando Funakoshi sensei conseguiu montar uma pequena turma, infelizmente aconteceu um terremoto na região que matou milhares de pessoas e destruiu grande parte de Tokyo. O alojamento que Funakoshi sensei morava foi atingido e alguns de seus alunos morreram ou ficaram seriamente feridos, fazendo com que as aulas fossem encerradas. Após o terremoto, enquanto o alojamento estava sendo reparado, Nakayama Hakudo sensei, mestre de Kendo, ofereceu a Funakoshi sensei o seu dojo para treinamento.

No ano de 1925, Funakoshi sensei começou a dar aulas para alunos de vários colégios e universidades em Tokyo que com o passar do tempo, esses alunos começaram a abrir seus próprios dojos. Com isso, a arte passou a se espalhar tanto que a partir de 1930 já existiam dojos em várias universidades de Tokyo.

Reuniõ de mestres e alunos
Funakoshi ao lado do “seu amigo” Choki Motobu sensei.

A partir de 1936, Funakoshi passou a usar mais ostensivamente a mudança dos caracteres kanji utilizados para escrever a palavra Karate, com isso passou a significar “mãos vazias”.

Funakoshi sensei tinha em seus pensamentos que o termo “mãos vazias” seria bem apropriado para a arte, pois representava que o Karate seria uma arte de defesa sem a utilização de armas como também a representação do espírito do Karate. Com isso, Funakoshi sensei passou a rever os nomes dos katas já que para ele os japoneses poderiam não se interessar por qualquer coisa que tivesse a ver com o dialeto de Okinawa.

Ainda no ano de 1936 ocorreu à fundação de seu dojo, uma comissão foi formada para estabelecer um fundo de arrecadação, a fim de construir o que seria a maior dojo de Karate da época. Essa comissão era identificada por Shotokai, que pode ser traduzida literalmente por “Associação de Shoto”.
Com o arrecadado, os trabalhos de construção começaram em meados de 1935 e no ano seguinte foi concluído o edifício em Zoshigaya Toshima, Tokyo.
Funakoshi sensei inaugurou pessoalmente o dojo, em 29 de Janeiro de 1936, com 69 anos de idade. No portão de entrada existia um cartaz com o termo Shotokan (Escola de Shoto), acredita-se que a origem do nome do estilo seja essa.
Este termo era uma forma de homenagem a Funakoshi sensei, já que era composto pela soma de 2 termos japoneses: Shoto, o pseudônimo que ele usava para assinar os seus poemas e Kan que significava escola. Assim da junção desses 2 termos, obtemos a expressão simplificada de “Escola de Shoto”. Depois de uma formação cerimonial os treinos oficiais começaram no dia seguinte sob a liderança de Yoshitaka sensei, terceiro filho de Funakoshi sensei que era um grande promissor mestre de Karate, pois era aquele que Funakoshi sensei esperava contar como seu substituto que segundo alguns relatos era muito talentoso e forte. O Shotokan infelizmente foi destruído durante um bombardeio na II Guerra Mundial.

FUna no kokuysuNas aulas de Funakoshi sensei a ênfase nos treinamentos estava nos katas, pois deveria obter um bom desenvolvimento de todos os músculos e reflexos. O treino de kumite era baseado em que um único golpe poderia decidir tudo (ikken hissatsu). Alguns arremessos e imobilizações também eram realizados nas aulas. Funakoshi sensei permitia treinamento de kumite para seus alunos somente quando os fundamentos do Karate fossem compreendidos.

Com II Guerra Mundial acontecendo, a necessidade de treinamento nas artes militares estava crescendo. Muitos jovens estavam começando seus treinos nos dojos existentes, vindos de várias regiões do Japão. O Karate foi beneficiado com isso que acabou ocorrendo uma aceitação bem acelerada como resultado.

Com a tropa dos Estados Unidos exercendo pressão sobre Okinawa, a esposa de Funakoshi sensei deixa a ilha e juntar-se a ele em Kyushu no Sul do Japão. Eles ficaram lá até o ano de 1947.

Em 1945 Yoshitaka sensei veio a falecer. Algumas fontes dizem que ele faleceu de fome pois se recusou a comer comida que os soldados norte americanos davam para seu povo enquanto outras dizem que ele faleceu de leucemia.

Funakoshi sensei e sua esposa tentaram viver em Kyushu no sul do Japão, em uma área rural, sob a ocupação americana no Japão. Porém em 1947, sua esposa veio a falecer de asma, fazendo Funakoshi sensei retornar a Tokyo para viver com seu primeiro filho, Yoshihide, e também para reencontrar seus alunos de Karate que ainda viviam por lá.

A convivência de Funakoshi sensei com seu primogênito era bem difícil. Na infância, Yoshihide começou a pratica do Karate e treinado com Itosu sensei, juntamente com seu pai, mas acabou se mudando para Tokyo, alguns anos antes de seu pai. Em Tokyo acabou se envolvendo com jogos e acumulando diversas dívidas. Yoshihide começou a pedir dinheiro emprestado para os alunos de Funakoshi sensei, o que acabou provocando uma situação bem complicada entre os alunos, causando tristeza para Funakoshi sensei.

Com o final da II Guerra Mundial, as artes militares haviam sido banidas, entretanto,funa velho alguns dos alunos de Funakoshi sensei conseguiram convencer as autoridades americanas que o Karate era uma arte “inofensiva”. As autoridades americanas concederam, já que época eles não tinham muito conhecimentos sobre o Karate. Além disso, alguns militares ficaram interessados em aprender algumas artes do Japão, com isso, os banimentos foram eliminados em 1948.

Em maio de 1949, os alunos de Funakoshi sensei se organizaram com todos os clubes de Karate universitários e privados numa simples organização, e com isso foi criada a Nihon Karate Kyokai (Associação Japonesa de Karate). Eles nomearam Funakoshi sensei como instrutor chefe. Em 1955, um dos alunos de Funakoshi sensei consegue arranjar um dojo para a Nihon Karate Kyokai.

Funakoshi sensei veio a falecer em 26 de abril de 1957 em Tokyo com 89 anos de idade deixando um grande legado e que sua vida difícil e seus ensinamentos jamais serão esquecidos.
Obrigado Funakoshi sensei!

Ossu!


1- Forma antiga de escrita para KARATE, usando o kanji KARA(唐), uma referência a dinastia chinesa Tang.  A forma de escrita foi modificada para a atual, depois da reunião dos mestres de Okinawa, organizada pelo Jornal local Ryukyu Shinpou.

 

5 comentários sobre “NASCE GICHIN FUNAKOSHI

Deixe sua opinião por favor. Oss!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s