PRA QUE DIABOS SERVE O HIKITE?!

Movimento inútil?!

Movimento inútil?!

Eu posso falar dos vários usos do hikite – 引きて( puxada de braço), desde aplicações de bunkai, o seu uso para sustentar ou intensificar a potencia do tsuki entre outras. Mas prefiro falar da minha favorita, EQUILÍBRIO MUSCULAR.
Músculos protagonistas e antagonistas devem trabalhar em harmonia, se existir uma deficiência em algum desses dois, teremos um desequilíbrio muscular seguido de uma lesão e possivelmente uma puta dor!
Em uma hora de treino acredito que chegamos a executar pelo menos umas 100 golpes de mãos, tal como tsuki, uraken, shuto e outros. E em todos esses que falei, o uso do tríceps é mais intenso.Além do exercício isotônico do tríceps ( no caso a fase concêntrica ) ainda temos uma breve isometria na hora do kime (definição do golpe).

A longo prazo os tríceps se desenvolve tanto em volume quanto em força, graças a esses dois exercícios que fazemos na aplicação de um soco.

SE NÃO EXISTISSE O HIKITE, TERÍAMOS EM POUCO TEMPO COTOVELOS LUXADOS OU ATÉ MESMO DESLOCADOS PELA FORÇA DOS NOSSOS PRÓPRIOS TRÍCEPS ( Ok, exagerei um pouquinho).

Acredito que muita gente aqui já sentiu uma pontadinha no cotovelo depois de um soco no ar com força total.
Alguns sensei ( tantos os antigos quanto atuais) ensinam a não estender por completo as articulações como cotovelos e joelhos na hora de socar ou chutar, para prevenir essas lesões. Acho válido , desde que não prejudique a técnica.
O hikite tem também por função o equilíbrio muscular,ele exercita o seu bíceps ( antagonista na hora do soco) com exercício isométrico e isotônico.
Executamos mutuamente o hikite e o tsuki com a mesma intensidade de força,  tempo de aplicação  ( duração de execução da técnica) e mesmo número de repetições, fazendo com que se desenvolva em volume e força, promovendo o equilíbrio e assim evitar tais lesões.

O hikiashi ー引き足 ( puxada de perna depois de um chute ) também possui essa função , além de outras, claro.

Dor!

A dor é a fraqueza blá,blá…

Já tive uma lesão forte nos joelhos depois de um treino, a ponto de não poder andar direito por dois dias. Os meus quadríceps estavam mais fortes, minhas “arrancadas” e oitsuki e gyaku tsuki excelentes, tudo isso por conta dos treinos com elásticos e musculação ( agachamento, leg press). Mas eu era preguiçoso e não treinava meus bíceps femorais com exercícios isolados. Num belo domingo, durante o kihon eu meus joelhos me abandonaram…

O tratamento com  acupuntura e  alguns anti-inflamatórios diminuíram a dor, mas o problema só sumiu depois que notei o desequilíbrio e passei a treinar os meus bíceps femorais e glúteos ,com pouca carga já que estava em fase de recuperação,
Muita gente acha que karate shotokan tem movimentos inúteis, com firulas, dedinhos certinhos, etc e tal. Infelizmente estão enganados.
Talvez não 100%, já que tem professores aos montes inventando moda no karate hoje em dia.
Mas siga a cartilha certa, estude e se aprofunde que você irá entender .
Oss!

P.S Não tenho formação acadêmica e todo o conhecimento mostrado aqui é proveniente de pesquisas, estudos e observações que venho fazendo ao longo dos 19 anos de pratica .  – Pinto San

Sobre Pinto San

Estudante de karate há quase 20 anos, amante da cultura japonesa desde os 8 anos de idade e viciado em lámem. Casado com Priscilla Pinto ( filha de japonês), decidimos vir para o Japão pra levantar uma grana trabalhando nas terríveis fábricas japonesas, e treinar muito karate. Treino em um pequeno Dojo no interior do Japão, mas todos os anos em embarco em aventuras pelo país/ilha, procurando os melhores dojo de shotokan para aprender mais karate. Meu objetivo é simples, ser o melhor karateka do mundo! Claro que isso é impossível, mas no fim das contas o mais importante mesmo é a jornada.

Publicado em 05/07/2013, em Nossos Colunistas, Pinto San e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 17 Comentários.

  1. Excelente explicação!
    No caso do hikiashi, aprendi que além destes pontos que citou, é uma forma de esquiva após o chute, evitando assim que o oponente segure sua perna após a aplicação.

    Curtir

  2. Inri Chris Jeshua

    da ha pouco o Yokota escreve um livro pra dizer pra que serve o Hikite. Esperemos entao…

    Curtir

  3. Bruno Herweg

    Ótimo texto!!! Desde que comecei no karate, há quase 3 anos (muito pouco tempo) tenho acompanhado seu site e/ou podcasts, videocasts, etc. Sempre aprendo muito e só tenho a agradecer pela dedicação e paciência!

    OSS!

    Curtir

  4. O amigo Pinto San sempre com comentários inteligentíssimos acerca do Karatê!
    Seu blog deveria ganhar o título de “utilidade pública”!!!

    Um grande abraço!!!

    OSS

    Curtir

  5. Joao Accioly

    Parabéns, muito bom. Outra coisa que acho válido mencionar no hikite é sua função de potencializar o giro do tronco/quadril e, portanto, a aceleração e a potência do golpe: por exemplo, num tsuki de mão direita, o conjunto tronco/quadril gira para o sentido anti-horário, e a puxada do braço esquerdo potencializa esse giro. Na prática do kihon faz-se a puxada inteira, e no kumite mesmo uma pequena puxada apenas da escápula esquerda (com o braço flexionado e a mão guardando o rosto) cumpre a função do hikite de aumento de potência do golpe.
    Oss!

    Curtir

  6. Parabéns pela sua matéria, porém discordo em muita coisa. Mas é apenas minha opinião.

    Curtir

  7. Alexsandro Araújo - Santa Cruz RN

    Com certeza um assunto de grande enriquecimento. A arte para ser completa necessita de observações detalhistas e precisas e com certeza nós praticantes, temos que pensar dessa forma, pois os pequenos detalhes é que fazem a diferença.
    Oss!

    Curtir

  8. Felipe Martins da Silva, Recife

    Como sempre mais uma excelente postagem Pinto san. Realmente, quem nunca sentiu uma fisgada no cotovelo depois de tsuki no exagerado. Em relação à lesões, já houvi histórias de muita gente, que inventou de dar meageri com pesos nos pés e o estourou o joelho.

    Curtir

  9. Nelson Junior

    Perfeito, já tinha comentado no facebook.. Obrigado. OSS

    Curtir

  10. Antonio Marcio

    Parabéns meu amigo pelo texto . Concordo em muito em sua afirmação. Oss

    Curtir

  11. Amigos…. existem coisas no karatê que, depois de aprendidas, impossível tirá-las ou mesmo diminui-las. O karatê de hoje prega uma preocupação muito grande com articulações, etc, a ponto de estimularem o não esticar totalmente dos braços em um tsuki. Porém, limitar a eficácia é complicado, pois, toda a explosão proveniente dos ombros, quadris e braços gera a busca de um alcance máximo dos golpes, e, limitá-los, pode até garantir um ponto em campeonato, mas, numa necessidade real, a eficacia com certeza estaria comprometida. Tira o hikite de um golpe é o mesmo que cortá-lo ao meio, ou o mesmo que entender como se ele tivesse concluído com o impacto, influenciando na técnica e no resultado final. Aos 27 anos de treino, aprendi que, se algo está difícil de ser executado, não é porque não é para sê-lo, mas porque estamos treinando pouco. Ótimo texto e perfeitas colocações do autor.
    Oss.

    Curtir

  12. many criticize the kikite because in free sparring if your hand is on the hip, your guard is open and vulnerable to the opponent’s attacks, so my question is
    how to apply hikite in free fighting?

    Curtir

  13. How can you apply on ju kumite the hikite, if you’re hand is on the hip you’re opened to opponent attacks, this is the criticism that many do about hikite.

    Curtir

  1. Pingback: Gedan Barai - defesa baixa

  2. Pingback: Age Uke

Deixe sua opinião por favor. Oss!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: