MÃOS DO VAZIO

Por Tiago Frosi sensei

Há um bom tempo haviam me indicado o blog de Andre Bertel-sensei, da Nova Zelândia, discípulo direto de Asai Tetsuhiko-sensei e pessoa influente na ISKF e JKS. Bertel é um karate-ka de altíssimo nível técnico. O blog é recheado de informações interessantes, mas principalmente é carregado com a visão do que é o Karate deste homem incrivelmente habilidoso. Apesar de admirar a maioria dos escritos, me incomodei bastante com a afirmação dele de que os kata Taikyōku são treinamentos  inúteis, perda de tempo e devem ser deixados de lado. Escrevi o texto da coluna deste mês para me posicionar em oposição a essas ideias, com todo respeito ao nosso Bertel-sensei, com quem aprendemos muito.

Muitas pessoas explicam que o treinamento de Kata é um treinamento contra adversários imaginários, representando uma contenda em campo aberto, contra muitas pessoas, e que a partir desse tipo de treinamento já podemos aprender a essência da nossa arte (na verdade essa era uma das ideias centrais de mestre Gichin Funakoshi). Mas qual o real significado disso? Podemos aprender o real significado do Karate-Dō apenas com um simples Kata como Taikyōku.

Quando executamos o Taikyōku Shodan quantos inimigos visualizamos? Um à esquerda, outro à direita, dois à frente, mais um para cada lado, dois atrás, e mais dois para a direita e a esquerda… Dez adversários.

O treinamento do bunkai dos Taikyōku Kata nos ensina o ataque aos pontos vitais (atemi): sankaku, jinchu, shosho e bukkotsu (cabeça), danchu, kysen e suigetsu (centro do tronco), keikyo e gokoku (antebraço) e de kinteki (virilha). Além disso, ensina técnicas muito importantes como tsuki-uke e introduz toda compreensão básica da movimentação na Embuzen (linha de atuação) e do uso do Kime.

Mas há um ponto mais profundo, que pode e deve ser treinado desde os Taikyōku Kata. Qual a altura dos nossos golpes, ou melhor, dos nossos oponentes? A mesma que a nossa. Qual a razão? No Karate nosso verdadeiro inimigo somos nós mesmos.

Você precisa enxergar o mal dentro de si, e um a um atacar e vencê-los (a esses adversários internos que são nossas próprias sombras). Ao treinar o Kata você não enxerga com seus olhos, enxerga com seu Coração. Você não golpeia com suas mãos, golpeia com seu coração. Seu Coração ataca! O Céu e a Terra estão em seu Coração.

O estado de êxtase atingido pelo treinamento verdadeiro do Kata nos deixa sem palavras. É impossível expressar através da fala esta experiência.  Este lugar de êxtase é o seu esvaziamento. O Vazio é o mundo que deu origem à sua vida. Nesse mundo não há amigos nem inimigos. É por isso que o conceito de inimigos ou de não ter inimigos reside unicamente em nosso Coração.

As Mãos do Vazio (空手) são as mãos daquele que nesta Terra não tem inimigos. Esse é o verdadeiro Karate. Eu levei muitos anos de treinamento solitário para compreender isso, mas você pode fazê-lo agora mesmo, neste momento. Tome todo mal do mundo e o transforme em bondade. Por favor, não me vejam como um mestre, vamos treinar juntos para alcançar esta meta. Esse é o Caminho daquele que entende o esvaziamento, o verdadeiro objetivo do Karate-Dō (空手道).

 

Tiago Oviedo Frosi

Shōtōkan Karate-Dō Shodan

Mestrando em Ciências do Movimento Humano – UFRGS

Porto Alegre, 6 de junho de 2011

Gostou? Clica nesses botões ai em baixo!

Sobre Tiago Frosi

Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. Professor de Karate, estilo Shotokan, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro de Treinamento Alcance e Associação Israelita Hebraica, em Porto Alegre, Brasil. Instrutor de Tai Chi Wu-Xing na Universidade Holística Internacional, campus Unipaz-Sul, Porto Alegre, Brasil. Terapeuta Transpessoal. Estudioso da cultura oriental, ciência baseada no paradigma emergente, espiritualidade, transdisciplinaridade aplicada à saúde e às práticas corporais.

Publicado em 22/06/2011, em Nossos Colunistas, Tiago Frosi e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 14 Comentários.

  1. Fábio Simone

    27 anos, São Caetano do Sul.

    Exelente post,

    Só queria comentar sobre o Taikyōku. Eu fico no meio termo com relação a esta série. Não acho que os Taikyōku são ínuteis, mas também não acho que são fundamentais. Para uma primeira aula de Kata, para crianças ou para portadores de necessidades especiais, eles são didáticos e de fácil assimilação, mas para uma iniciação em Kata a serie Heian traz os mesmos elementos do Takyoku explorando outros mais.

    Abs,

    Curtir

  2. Roberto Sant Anna

    Tambem nao considero os Taikyoku como Katas indispensaveis ao karate Shotokan. Para isso, existem os Kihons padrão no sistema Shotokan.
    O proprio Nakayama Sensei nao concordava com o treino deles.
    Sobre o Bertel, pode até ter habilidade, mas nao tem Reigi-Saho e é muito vaidoso, fala muito de si proprio. Nao tem o respeito de seus Sempais.

    Curtir

  3. Taikyoku e Ten no kata são criações de Gigo Funakoshi. Ele criou nos anos 30 para ajudar a introduzir os conceitos básicos do treino de kata aos iniciantes. Gigo era genial, e sendo filho de um Educador, sabia que a progressão pedagógica ajuda muito na assimilação de informação. Dito isso, eu confeso que não treino os Taikyoku, mas ensinava para meus alunos iniciantes. Uma vez assimilados, os Heian são a evolução e definitivos. Heian é diário e para sempre. Oss!

    Curtir

  4. Luciano Brito da Silva, 3º Kyu Shotokan

    Post realmente excelente.
    Fiquei realmente emocionado com algumas citaçoes do post.

    “Você precisa enxergar o mal dentro de si, e um a um atacar e vencê-los (a esses adversários internos que são nossas próprias sombras). Ao treinar o Kata você não enxerga com seus olhos, enxerga com seu Coração. Você não golpeia com suas mãos, golpeia com seu coração. Seu Coração ataca! O Céu e a Terra estão em seu Coração.”

    Isto e o que realmente penso a respeito do treino de Kata, pois pra mim não ha nada que simbolize mais o Karate-do, sua escencia principal.

    Todos os kata, tem seu valor propio, sua função, valendo lembrar que para alguns estilos a serie Taikyoku e fundamental para o entendimento de outras como Pinan, (Ou Heian no shotokan)

    Muito bom o post, uma boa defesa no que quer dizer a principios, pois hoje em dia, em sua maioria os praticantes do karate seja qual for o estilo tem deixado a pratica a fundo dos kata de lado, se concentrando apenas em kumite, seja para competição, seja para a vida pessoal!!!

    Grande Abraço
    OSS

    Curtir

  5. Andrews Pontes Moura

    Muito bom o texto, Parebéns.

    Curtir

  6. Exelente Texto Perfeito. O Sensei Andre Bertel é Bom Mais O Masao Kagawa Da 10 a 1 Nele

    Curtir

  7. Luís Eduardo de Oliveira Ulbricht

    Muito bom o texto do Sensei Tiago, principalmente a parte de lutarmos com nós mesmos, qto aos Taikyoku acredito que eles são uma introdução não só aos kata mas tb ao karate de modo geral.
    Oss!!

    Curtir

  8. Pedro Fanini

    Não considero os Taikyoku indispensáveis, porém eles são bem didáticos para iniciantes.
    Também gostei bastante do texto. Espero que o Tiago Frosi sensei continue colaborando sempre aqui no site, pois suas contribuições têm sido enormes.
    A respeito do Andre Bertel, seu nível técnico é incontestável, e não conheço ele para falar se é arrogante ou não, no entanto considero seu blog uma ferramenta muito útil de pesquisa que pode contribuir com o karate de quem acessa.

    Curtir

  9. Lucas Sales

    Pesquisando sobre o taikyoku (pois sou 3° kyu na shotokan e nunca os treinei até hoje…), didaticamente é até interessante, mas pra quem já tem uma visão bélica um tanto desenvolvida chega a ser perda de tempo…

    E sobre enfrerntar os inimigos internos, não acredito que a principal função dos Kata seja esta. E eu, particularmente, não acredito nessa idéia de “meditação em movimento” que muitos praticantes, simpatizantes do zen-budismo ou não, pregam por aí…

    Apesar de não estar de acordo com parte da opinião postada, foi bastante enriquecedor para o debate do Karate.

    OSS

    Curtir

  10. Ótimo post, explica bem o princípio do mestre Funakoshi que diz: “Execute o Kata corretamente; o combate real é outra questão”.
    Que pode ser entendido na parte técnica do karate, visto que o Kata nos ajuda a praticar corretamente os golpes e em âmbito filosófico, como mesmo você disse, derrotar o inimigos que há dentro de nós.

    OSS

    Curtir

  11. Oss ! pode ser que para o André Bertel hoje(2011) seja inutil o referido treino para ele de forma pessoal . creio que seja uma visao pessoal dele ( nao o estou defendendo) acho o Taikyoku fundamental no nosso treino , no Karate-do realmente há muita vaidade e medição de força em alguns praticantes, acho que de vez em quando os nossos Senseis deveriam conversar com todos os alunos sobre isso após a sessao de treino , funakoshi tinha isso com o sensei Itosu e Asato , creio que nao estamos no Dojo apenas para demonstrar para nós mesmos ou para outros as nossas habilidades tecnicas mas sim para formar o carater e andar pelo caminho das maos vazias, mas nao conheço o André Bertel e so quem conhece pode falar dele e de sua conduta como o Roberto Santana , nao falo daquele que nao conheço, o Blog dele é bem interessante e o Tiago Frosi também é uma pessoa que faz uma otima leitura do que acontece no karate-do.
    Habilidade Técnica se obtém treinando.
    Conduta e Caráter é o mais importante , tá tudo no Dojo-Kun….

    Osu!
    Mozart
    Goiania – Go
    7º Kyu
    Academia Sol Nascente

    Curtir

  12. Fábio Borges

    gostei muito da explanaçao do sensei Tiago, sou faixa roxa de Karate, e gostaria saber mais sobre o bunkai de cada kata. moro em uma cidade pequena e o meu sensei enfatiza mais a competição do que o verdadeiro significado do Karate-Do. se alguem tever mais informações ou orientaçoes de onde posso adquirir tal conhecimento, por favor entre em contato comigo (fsp.borges@gmail.com), serei muito grato.
    ps: gostaria de ver esses esncinamentos nesse blog que eu adoro e recomendo a todo Karateka que conheço.

    Oss!!!

    Curtir

  13. Gustavo - RJ

    Eu sou da opinião que o karatê não é um só. Existem vários karatês dentro dele, vai depender do que vc quer com seu karatê.

    Se vc quer ensinar, se vc quer lutar, se vc quer filosofar, se vc quiser boa saúde, cada alvo terá um caminho.

    Hata pra mim são os heians e mais dois ou três, os outros não me servem. Do karatê quero defesa pessoal e os amigos que fiz, pro resto, pra mim, tem coisa melhor.

    Curtir

  14. Concordo que os Taikyoku são “katas” ultrapassados… Bom, o termo não seria ultrapassados… mas realmente eles não tem muito o que acrescentar.

    Os treinamentos de kihon são o suficiente para preparar o karateka iniciante para o que esta por vir.

    Abçs, Oss.

    Curtir

Deixe sua opinião por favor. Oss!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: