HISTÓRIA DO KARATE EM OKINAWA -FINAL- Ryuei-ryu

Kenchu Nakaima - segunda geração do estilo

Kenchu Nakaima – segunda geração do estilo

Kenri Nakaima nasceu em Kume-mura (atual distrito de Kume na cidade de Naha), que era então um estabelecimento de descendentes chineses. Em 1839, aos 19 anos de idade, foi a Fuzhou na província de Fujin, na China. Transformou-se um estudante do famoso Ryu Ryu Ko para aprender o kenpo e táticas militares chinesas. Após muitos dias de duro treinamento, Nakaima foi reconhecido como mestre. Como uma prova disso, recebeu as instruções de Bubishi, de Hyoronshi, de Yojoho, de Kokufu e de Kenyushinpo.

Trouxe-os para Okinawa e criou o Ryuei-ryu, uma escola do karate

Kenko Nakaima terceira geração

Kenko Nakaima terceira geração

e de artes marciais com armas que é baseado em Kenpo chinês. Seu pedigree foi passado de Kenri Nakaima a Kenchu Nakaima e Kenko Nakaima aos presentes dias.

Seus kata típicos incluem: Anan, Heiku, Paiku, Niseshi e Pachu. Anan foi demonstrado por Tsuguo Sakumoto, com uma excelente vitória, conquistando o título do Kata Individual no Campeonato Mundial de Karate.
Desde então, ele tem sido demonstrado  por seus discípulos em Campeonatos Mundiais, Campeonatos Asiáticos, Campeonatos Japoneses, e no Festival Nacional dos Esportes. Consegue elevada avaliação mesmo hoje.

Kata Típico do Ryuei-ryu

Anan

 Sakamoto sensei

Ana Kata

Anan é o mais avançado dos kata de Ryuei-ryu. A ofensiva e os movimentos defensivos são integrados em um. As técnicas mudam sem uma ruptura, apenas como uma corrente de água que vai adiante.
As características incluem a ofensa usando o teisho (base da palma da mão), e o método da respiração.

 

Heiku (Tigre negro)

Heiku (Tigre negro)

Tigre negro

As técnicas pesadas e intensas de Heiku são símbolos do tigre negro masculino.

Tigre Branco

Tigre Branco

Paiku (Tigre Branco)

Paiku é um kata delicado, contudo poderoso sugestionando um tigre fêmea.


Pachu

Pachu

Pachu

Este kata é caracterizado por suas técnicas estáticas e explosivas apenas como um dragão que dança em um movimento circundando ao arrebatar a esfera.

E esse foi a última parte da nossa série sobre os estilos de karate de Okinawa. Espero que vocês tenham gostado e que essas publicações tenham despertado o interesse pelas origens do nosso karate. Não pare por aqui, continuem suas pesquisas, procurem aprender mais sobre os primórdios da nossa arte e lembrem: O conhecimento liberta!
Um abraço e até mais, e não se esqueça de compartilhar e deixar seu comentário, que é importantíssimo para nós.

Oss!

____________________________________________________________________________________
Fonte: Wonder Okinawa – Centro de Estudos da Prefeitura de Okinawa em Manifestações Culturais e Artes Marciais. http://www.wonder-okinawa.jp/023/eng
NAKAZATO, Jyoen; OSHIRO, Nobuko; MIYAGI, Tokomusa; TUHA, Kiyoshi; KOHAGURA, Yoshinobu; HIGAONNA, Morio; TAIRA, Yoshitaka; SAKUMOTO, Tsuguo. Karatê de Okinawa e Artes marciais com Armas / Okinawan Karate and Martial Arts with Weaponry. Disponível em: <www.wonder-okinawa.jp/023/eng>. Acesso em: 20 jun. 2005

HISTÓRIA DO KARATE EM OKINAWA -Parte 6- Matsubayashi Ryu

Fundador do Matsubayashi-ryu -Shoshin Nagamine

Fundador do Matsubayashi ryu  Shoshin Nagamine

Matsubayashi-ryu foi fundado por Shoshin Nagamine (1907-1997), um estudante de diversos instrutores proeminentes, incluindo Chotoku Kyan (1870-1945), o mestre do estilo Shuri-te, e Choki Motobu (1871-1944), o mestre do estilo Tomari-te e Shuri-te. Adotou o nome Matsubayashi-ryu , que usa o caracter chinês MATSU (pinho), para honrar os mestres Sokon Matsumura (1809-1896), mestre de Chotoku Kyan, e Kosaku Matsumora (1829-1898), mestre de Choki Motobu.

A característica principal de Matsubayashi-ryu é começar com movimentos muito naturais, com nenhum sentido de alerta, e usa um método natural da respiração. Conseqüentemente, coloca grande importância em usar movimentos naturais do corpo , rápidos e de tempo-livre, além de tanren de técnicas pesadas. Em Matsubayashi-ryu, o kata é considerado criativo, e uma demonstração do enbu enfatiza a harmonia da velocidade, do poder e do peso. A finalidade do treinamento é de aperfeiçoar o princípio de shin-gi-tai-ichinyo, (unificação da mente-técnica-corpo) e dominá-lo.

Entre os  kata típicos estão: Fukyugata I, Fukyugata II, Tomari Passai, Gojyusiho, Chatan Yara no Kusanku, Tomari Chinto, Rohai, Wankan e Wanshu.

Kata Típicos do Matsubayashi-Ryu

Nas fotos  a seguir, conferimos os kata t[ipico do estilo, executado por Yoshitaka Taira (nascido em 5 de setembro de 1943) (Kyoshi 8° Dan).

Chatan Yara no Kusanku -  Taira sensei

Chatan Yara no Kusanku – Taira sensei

Chatan Yara no Kusanku

Diz-se que este kata foi estabelecido quando o famoso artista martial Peichin Yara (1816 -?), natural de Shuri, se mudou mais tarde para a vila de Yara Chatan e, combinando o Okinawa Te, de épocas antigas, com o kata trazido por um artista martial chinês chamado Kushanku em 1761.
Este é o mais longo de todos os kata de Matsubayashi-ryu. Caracteriza uma variedade rica de movimentos ofensivos e defensivos, um sentido rítmico forte e harmonia entre o leveza e plástica. Inclui o sayu-nidan-geri-waza (chute duplo saltando) que usa ambos os pés. É o último kata que os estudantes de Matsubayashi-ryu aprendem.

Ataques e defesas simultâneos

Ataques e defesas simultâneos

Wankan

Pensa-se que este kata foi criado por um mestre em tempos antigos, mas não se sabe exatamente quem o criou. Foi passado pelas gerações até os dias atuais por artistas marciais da região de Tomari. Sua característica original é de técnicas defensivas e ofensivas simultâneas em um movimento e em várias direções. Todos movimentos muito elegantes.

 Com seus "punhos escondidos"

Com seus “punhos escondidos”

Wanshu

Este kata é chamado também Wansu. Diz-se que ele foi criado enquanto os mestres de Okinawa adaptaram as técnicas aprendidas dos enviados do Imperador chinês em 1683. As características do kata: kakushi-ken (os punhos escondidos) usado em dois pontos diferentes, e em movimentos amplos e majestosos.

Rohai  Kata - Taira Sensei

Se liga nos “chutes escondidos”

Rohai

É dito que este kata também foi criado por um mestre em épocas antigas, e foi passado para as gerações posteriores por artistas marciais da região de Tomari. Mas não se sabe quem o criou realmente.

É caracterizado por muitos tenshin waza(técnicas de transferência do corpo), e makite (agarrão) ou kakushi-ashi-geri (chute escondido) conduzido ao evitar um ataque do oponente. Tais movimentos têm um toque muito claro. Originalmente havia apenas um kata, com nenhum 2° ou 3° nível.

E na próxima semana, mais um capítulo sobre os estilos de Okinawa.
Atá lá pessoal, e não se esqueçam de curtir, comentar e compartilha, isso ajuda muito o blog a alcançar mais karateka e divulgar o nosso trabalho.
Oss!

____________________________________________________________________________________
Fonte: Wonder Okinawa – Centro de Estudos da Prefeitura de Okinawa em Manifestações Culturais e Artes Marciais. http://www.wonder-okinawa.jp/023/eng
NAKAZATO, Jyoen; OSHIRO, Nobuko; MIYAGI, Tokomusa; TUHA, Kiyoshi; KOHAGURA, Yoshinobu; HIGAONNA, Morio; TAIRA, Yoshitaka; SAKUMOTO, Tsuguo. Karatê de Okinawa e Artes marciais com Armas / Okinawan Karate and Martial Arts with Weaponry. Disponível em: <www.wonder-okinawa.jp/023/eng>. Acesso em: 20 jun. 2005

KIMONO DE KARATE?

Sim meu caro karateka, depois de muito tempo decidi escrever para o blog. Deixar um pouco de lado os Vidocast e podcast, e trazer para você a velha e boa leitura, retornando às origens do nosso blog.

E para deixar este texto ainda mais preso às origens , hoje eu irei falar sobre uma coisa que me incomoda muito dentro do karate, e acredito que deixa muitos de vocês confusos.
Finalmente, o certo é DOGI, KARATEGi ou KIMONO?

Não consegui fontes que me mostrassem onde começou o erro de tradução do nosso uniforme de treino, talvez tenha sido um problema de comunicação, já que o karate chegou ao Brasil por volta da década de 40 do século passado, e apesar da imigração japonesa para o nosso país tenha sido iniciado no começo do século 20 ( Navio kasaku Maru atracou no porto de Santos em 1908), houveram varias restrições ao uso da língua japonesa durante a Segunda Grande Guerra.

Para quem não sabe, escolas japonesas que haviam nas colônias espalhadas pelo Brasil, foram fechadas, tiveram seus materias queimados e seus professores detidos. Por um período, foi proibido o uso da língua japonesa dentro do território nacional.
Isso poderia ser um dos motivos para que várias traduções e erros tivessem acontecido e se perpetuado até hoje.

Mas é para isso que nosso blog existe! Apontar o dedo, dismistificar e falar mal da picaretagem alheia. Hehehe

Antes de mais nada, iremos usar o sistema hepburn de romanização, um dos mais usados para transcrever palavras da língua japonesa para a língua portuguesa. Dito isso , vamos lá!

Funakoshi sensei teve que seguir algumas normas para que a recém arte de defesa pessoal* de Okinawa, fosse aceita pela Dai Nippon Butotukai e assim se tornar uma Kakutougi (格闘技 – Arte Marcial Japonesa).   Entre as normas e exigências, havia a necessidade de adotar um fardamento de treino, conhecido como DOGI (道衣).

Funakoshi sensei

Funakoshi sensei

Como muitos já sabem, Funakoshi sensei pegou emprestado o uniforme de treino do Judo, já que na época se adequava bem para os treinos de karate. Com o passar dos anos, algumas adaptações foram feitas, diferenciando o atual uniforme do de judo.

Agora você deve estar pensando: Então o nome certo é Dogi!
Calma, vamos chegar lá.
Antes de mais nada, a pronúncia correta é DÔUGÍ. Isso mesmo, tendo o a letra O com o acento circunflexo, sendo estendida brevemente com a letra U, e finalizando a palavra com a letra I acentuada.  Para ficar mais fácil de entender, vai aqui a pronuncia em áudio.


A palavra Dogi, quando se refere ao uniforme de treino, tem duas formas de escrita:

Dogi -(道衣) sendo o kanji Do (道) traduzido como caminho, e Gi (衣) traduzido como uniforme.

A segunda forma é bem parecida, Dou (道) como Caminho, e Gi (着) do verbo Kiru (着る), que significa VESTIR.

Ambas as escritas são usadas para se referir ao nosso uniforme de treino.

Ainda existe uma terceira forma de escrita , que alguns usam para se referir a parte de cima do uniforme do kyudo , a arte do arco e flecha japones. Essa forma usa o kanji DO (胴) de Torso ( parte superior do corpo), juntamente com os outros kanji já citados antes:

胴衣e 胴着 ( ambas se pronunciam DOGI), que pode ser traduzido como jaqueta, mas de uma forma genérica.

Dogi ( no caso do uniforme de treino) , pode ser traduzido como “uniforme do caminho”, que usamos para praticar o caminho”DO”, ou “vestir o caminho”, numa forma mais romantizada, ideal para os amantes da filosofia. Por que não, né…

 Uma coisa que deve ficar clara é que DOGI, é uma forma genérica para os uniformes de treino de artes marciais japonesas, sendo muito usada nos dojo de karate. Mas KARATEGI, é o mais correto , por ser mais especifico.

Como vimos antes, GI(着/衣) é a palavra para uniforme, e usada juntamente com a palavra karate, temos o uniforme de karate ( KARATEGI), a vestimenta que usamos para treinar.
Essa forma também é usada para outras kakutougi (A.M Japonesas), como:
Judo – judogi – 柔道着 ou 柔道衣

Aikido – Aikidogi – 合気道着 ou 合気道衣

Jodo – jodogi – 杖道衣

Kimono Tradicional Japones

Kimono Tradicional Japonês

O Gi  ainda é usado em outras áreas, para se referir à uniformes de trabalho , escolas, academias e outros.

Agora a grande revelação. Usar a palavra KIMONO (着物), para se referir ao uniforme de treino de qualquer arte marcial japonesa, está errado! Kimono é uma  vestimenta japonesa, também usado para se referir às vestimentas de gala, usadas em cerimônias especiais como casamentos, formaturas, comemorações da maior idade, etc.  E acredite, é quase impossível treinar qualquer modalidade esportiva, usando kimono de gala.

Parece ser uma coisa sem muita importância tudo isso que eu falei aqui, e eu pensava da mesma forma.  Mas imagine se um dia você consegue aquela oportunidade de vir ao Japão , para fazer aquele tão sonhado turismo de treinamento, e minutos antes de começar a aula, você pergunte para um dos alunos ou até mesmo para o sensei ( japonês), onde fica o vestiário para você vestir seu KIMONO…

Infelizmente a moda “kimono de karate” pegou no Brasil, e hoje a maioria dos karateka a usam para se referir ao nosso karategi, assim como também fabricantes e lojas de material esportivo. Afinal, eles tem que vender o produto, e para isso,  tem que usar  o “nome popular.” Mas ainda tenho esperança que um dia isso se resolva.

Acho que essa seria uma boa oportunidade de lançar uma serie de textos falando sobre pronúncias e erros comuns, que ao longo do tempo, apareceram dentro dos dojo ocidentais, muitas vezes pela dificuldade do idioma japonês e outras vezes pela nossa falta de interesse.

Então ,até a próxima postagem, e por favor não esqueçam de comentar e compartilhar, isso nos ajuda muito.
Oss!

——————————————————————————————————————————————————————————————
FONTES – Dicionário Imi Wa (App para iOS7); Sistema Hepburn em Wikipédia; Dicionário Japonês-Português Romanizado (1ª Edição/22ªimpressão revisada e melhorada- 2003);Livro -Corações sujos ( Fernando Moraes); Yami no Ichinichi – O Crime que abalou a Colônia Japonesa no Brasil (Documentário).
* O autor acredita que o Karate é melhor definido como arte de defesa pessoal, devido à carga histórica que acompanha a arte de Okinawa.

 Se você estia procurando um Karategi nacional, com  qualidade internacional, seus problemas acabaram!
Acesse  e confira

POD BATER PODCAST # 06- Aniversario do Blog!

Tentando  careira solo

5 anos de blog!!!


FELIZ ANIVERSÁRIO!
Pois é, hoje estamos completando 5 ano de pinto Karate dojo, mas quem ganha o presente é você!
…Só não hoje, por que a nossa equipe nem sabia disso, e não preparamos nada para comemorar.

Mas no Pod bater de hoje, vamos conversar um pouco sobre essa data, e sobre  a importância dos treinos exclusivos para os graduados do dojo.
Se você quiser participar da conversa, então comenta ai.
Oss!

Download melhor qualidade 128 kbps –18Mb [18:37 min]

Gostou? Clica nesses botões ai em baixo!

KARATE NEWS # 38 – 16/02/2014

O karate em notícias

Com Roberto Sant’anna,Tiago Frosi , José Pedro e Pinto San


EXCEPCIONALMENTE NÃO TEREMOS SEÇÃO DE EMAILS NA EDIÇÃO DE HOJE.

- KARATEKA EWERTON TEXEIRA NO TUF BRASIL

- MANDELA É HOMENAGEADO COM 10º DAN PELA SKIF

- CURSO COM ROBERTO SANT´ANNA SENSEI 

Links  recomendados de hoje :

- ACESSE O BLOG O GUERREIRO E O CAMINHO E CONHEÇO O MAIS NOVO PODCAST SOBRE KARATE.

Download melhor qualidade 128 kbps –17Mb [17:15 min]

GOSTOU? ENTÃO  COMENTA  AI  E CLICA NESSES BOTÕES AI EM BAIXO.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.584 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: